quarta-feira, 9 de julho de 2008

Zbigniew Boniek: o maestro polonês

Nascido em 3 de Março de 1956, na cidade de Bydgoszcz, Zbigniew Boniek é considerado por muitos o melhor futebolista polonês a jogar nos gramados. E realmente jogava como poucos. Dono de dribles precisos e um controle de bola exemplar, foi um jogador polivalente, algo que está em falta nos dias de hoje. Atuava tanto no meio, pela ala esquerda e também no ataque como ponta.

Aos 20 anos já era titular da Seleção Polonesa, disputou três copas do mundo ( 1978, 1982 e 1986) tendo especial destaque na Copa de 82, com a dita melhor seleção da história da Polônia, que contava com Zmuda, Lato, Smolaerk, além do próprio Boniek no auge dos seus 26 anos. Após derrotar a Bélgica e a União Soviética, os Poloneses garantiram vaga na semi-final, onde viram a sua primeira e única derrota naquela Copa, para Seleção Italiana comandada por Paolo Rossi. Boniek não jogou, tinha sido suspenso por ter tomado um cartão amarelo a dois minutos do término da partida anterior contra a URSS. As circunstâncias daquele cartão foram reveladas apenas recentemente, em entrevista a Fífa, Boniek desabafou:

“Naquela Copa do Mundo, não pude jogar a semifinal pois estava suspenso. Apenas Valentine, o arbitro escocês, sabe por que recebi aquele cartão amarelo, faltando 2 minutos para o encerramento da partida. Depois de tantos anos ainda é difícil de engolir.”.

A história daquela Copa poderia ter sido diferente caso Boniek tivesse jogado a semifinal, quiçá a Polônia conquistasse o título, ao invés do terceiro lugar...

Até então jogando num clube Polonês, o Widzew Lódz, após a copa de 82 atraiu as atenções da poderosa Juventus para onde se transferiu e permaneceu até 85. Jogando ao lado de craques da época como Paolo Rossi, Michel Platini e Dino Zoff, conquistou um título italiano e um vice, além de ter disputado duas finais de Copa dos Campeões, tendo perdido uma na temporada 82/83 para o Hamburgo (que viria a enfrentar o Grêmio no Mundial, até hoje os gremistas questionam-se: “e se tivessemos enfrentado a Juventus?”, mas essa é outra história...) e vencido outra no ano de 1985, enfrentando o Liverpool, no episódio conhecido como a Tragédia de Heysel, que teve como conseqüência a morte de torcedores italianos, devido à violência da torcida inglesa antes da partida. Na temporada 85/86 a Juventus trouxe Michael Laudrup que ocupou a vaga de estrangeiro de Boniek, este então transferiu-se para a Roma, onde em 1987 se aposentou.

Hoje com 52 anos, Boniek é comentarista da televisão estatal da Itália no programa Domenica Sportiva, ainda vivendo em Roma. Por ser considerado um jogador muito inteligente Boniek ensaiou uma carreira de treinador, treinando o Lecce e o Bari, mas preferiu seguir como comentarista de futebol.

Um comentário:

Lucas Renato disse...

QUe bom tomar conhecimento dos craques que não são tão falados. Boniek neles!!!

Não deixe de dar uma passadinha no nosso blog: www.esportejornalismo.blogspot.com. Abraços!!