domingo, 8 de junho de 2008

Massacres no sábado

SÃO PAULO 5-1 ATLÉTICO MINEIRO
1-0: 8 min. Hernanes (S)
2-0: 12 min. Joílson (S)
3-0: 15 min. André Dias (S)
4-0: 38 min. Hugo (S)
4-1: 70 min. Coelho (A)
5-1: 84 min. Hugo (S)

Acordou o campeão. O São Paulo voltou a jogar um futebol digno do vencedor dos dois últimos campeonatos nacionais. A partida foi de uma facilidade tremenda, em parte pela ruindade atleticana, principalmente pelo jogo envolvente mostrado pelos do treinador Muricy Ramalho – que, por ora, não cai mesmo. Em quinze minutos, já estava 3-0. Fosse mantido o ritmo e teríamos placar histórico, mas poucos mantêm o ritmo em confrontos assim. Depois, apenas baile, e isso já bastou para fazer mais dois tentos no pobre Galo. Na quinta rodada do campeonato, enfim o tricolor paulista vence. Em compensação, o Atlético Mineiro perde sua primeira, explicitando todas as fraquezas do time. No ano do centenário do clube, o temor é para não lutar contra o rebaixamento. Rindo da própria desgraça, fazendo referência ao resultado de hoje e à humilhação na final do estadual, com goleada parecida diante do rival Cruzeiro, um torcedor alvinegro escreveu, após a partida: acho que levar de 5 faz parte das comemorações do centenário; vamos de 5 em 5 até 100.

FLAMENGO 5-0 FIGUEIRENSE
1-0: 2 min. Marcinho (F)
2-0: 36 min. Souza (F)
3-0: 39 min. Marcinho (F)
4-0: 44 min. Marcinho (F)
5-0: 87 min. Souza (F)

O campeão pode ter reagido, mas o líder da atual temporada não deixou de repetir a força que o levou à posição em que se mantém. Em noite espetacular de Marcinho, autor de um hat-trick e uma assistência para gol no primeiro tempo, o Fla não encontrou oponentes no gramado do Maracanã. Disseram que um time de Santa Catarina ia jogar por lá. Ficou no anúncio: ainda estão procurando indicações de sua passagem pelo Rio de Janeiro. Não houve Figueirense. Somente festa da torcida flamenguista, que teria tempo de vibrar com um quinto gol no fim da etapa complementar e, acima de tudo, com a seqüência de uma campanha de primeiro lugar, com 5 jogos distribuídos em 4 vitórias e 1 empate. A chuva de gols do sábado também deu aos rubro-negros a condição de melhor ataque do Brasileirão: 11 tentos anotados.

IPATINGA 0-0 NÁUTICO

Quando a média de gols voltava a entusiasmar, vinha a lembrança de que não poderia faltar um jogo insosso entre times provavelmente fadados às posições inferiores da classificação. O nível da partida foi de Eurocopa – fraquíssimo, portanto, tendo em vista a qualidade do futebol no sábado europeu. Nada de gols, mas motivos de sobra para o Ipatinga comemorar: já são trêêêês jogos invictos em seqüência, e uma campanha de 12º lugar, no fim do dia. Extraordinário para um probabilíssimo dono de vaga na Série B 2009. Por sua vez, o Náutico ainda sustenta seus 10 pontos, seu 3º lugar, sabendo que manter essa condição pelo resto do campeonato é uma missão grande demais.

Um comentário:

gambling online disse...

It enables us to express our feelings and opinions.