sábado, 17 de novembro de 2007

Um país assaltado

Era o sábado do esperado confronto direto entre Escócia e Itália, pelas Eliminatórias da Eurocopa 2008. Uma vitória de qualquer lado eliminaria o adversário. Um empate seria bom para os italianos, que enfrentam as Ilhas Faroe na rodada final, enquanto os escoceses não teriam mais partidas por disputar.

E a Itália jogou melhor, fez por merecer o 1-0. Mas a Escócia tinha raça e, mesmo faltando qualidade, o amor à camisa era notável. O time da casa foi para cima, sem medo de levar uma goleada por ser pior. Foi premiado, empatando o jogo em 1-1, aos 65 minutos, com um glorioso gol de carrinho após uma bola rebatida dentro da área italiana.

Só que ainda era preciso virar o jogo. E aí as coisas começaram a complicar. O empate só serviria aos escoceses se, numa improvável hipótese, a França, outra equipe que disputa vaga, não empatasse contra a eliminada Ucrânia na rodada derradeira. Sim, era preciso virar. Mas o tempo passava e as coisas não aconteciam.

O embate já chegava aos 90 minutos quando, desesperado, um defensor escocês tentava armar um contra-ataque ao lado de sua área. Viu um oponente surgir do nada e atropelá-lo, como um bólido desgovernado. Para injúrias gerais, não apenas não ganhou a falta como viu o árbitro assinalá-la em favor da Itália!!! Na cobrança, um cruzamento preciso sobre a área local resultou no gol do 1-2 visitante. A Escócia estava eliminada.

Roubaram, escandalosamente, os sonhos de uma nação.

Um comentário:

ianslater disse...

Já é a 2ª vez seguida que a Itália ganha ROUBADO de alguma nação pela qual eu tenho simpatia(a 1ª vez foi na Copa de 2006, com aquele pênalti inexistente contra a Austrália, nós acréscimos do 2º tempo).

Portanto, a partir de agora é meu dever e obrigação secá-la até o fim na Euro 2008.