terça-feira, 17 de março de 2009

Classificação Brasileira em 2009

... ou “Todos os anos começam iguais no Recife”

Em contraponto à dita democracia do esporte, o futebol pernambucano vem sendo uma ditadura rubro-negra. O Sport detém o tricampeonato estadual, tendo vencido as duas últimas edições sem necessidade de final, e indica que triunfará mais uma vez dessa forma. Diante de adversários que, por essas alturas, vão a campo com o mesmo espírito que um boi na direção do matadouro, o Leão sagrou-se campeão da Taça Revolução Constitucionalista de 1817 (o Primeiro Turno de 2009) e, ainda invicto, empata com o Náutico na liderança do returno, a Taça Confederação do Equador. Desde 2006, o Sport disputou 75 partidas pelo torneio local. Perdeu apenas seis.

E esse geralmente era o comentário que eu ouvia em relação às “Classificações Brasileiras” levantadas pelo blog, sempre na metade de março de cada ano: o Sport aparecia no topo (melhor aproveitamento em 2007, segundo melhor em 2008) da tabela por causa do baixo nível do Campeonato Pernambucano. Oquei. Mas em 2008 o Sport ergueu a Copa do Brasil. Os resultados tinham muito dos seus próprios méritos. Em 2009 o rubro-negro do Recife está na Libertadores e, feitos dois jogos internacionais, o começo do ano é idêntico aos anteriores. Mantém-se invicto na temporada, o Sport, e com o melhor aproveitamento inicial desde a primeira tabela feita nesse estilo aqui no blog.

Vitorioso na taça continental contra o Colo-Colo e a atual campeã Liga de Quito, esse Sport de 2009, certamente mais forte que o de 2006, o de 2007 ou mesmo o de 2008, conta 16 vitórias e um empate em 17 partidas disputadas no ano. Em média, marcou quase dois gols e meio por jogo, e sofreu só 0,59 a cada partida. Está tão acima dos outros clubes da Série A principalmente porque adota uma postura diferente das teóricas melhores equipes do Brasil, as que também estão na Libertadores: raramente o time manda onze baleados para os jogos do estadual. Como exemplo de clube que pensa de outra forma, o Grêmio: conformado em perder com formações mistas e reservas no Gauchão, o tricolor gaúcho despencou do topo da tabela, que dividia com o Sport nessas classificações, para um 17º lugar no aproveitamento geral de 2009.

O significado disso é o mesmo que ver o Jonas perder os gols feitos em Tunja e concluir que a manteiga na geladeira estragou: nenhum. Em março de 2007 o Corinthians tinha o 17º aproveitamento do Brasil entre equipes da Série A. Terminou o ano rebaixado. Em março de 2008 o São Paulo também estava no 17º lugar de uma tabela assim. Acabou campeão brasileiro. É cedo demais, e a experiência mostra que a classificação abaixo, contando todas as partidas oficiais relevantes disputadas pelos times da primeira divisão até agora (a imensa maioria por desparelhos estaduais), está muito mais como uma pintura dos resultados do que uma promessa de coisas boas ou ruins nos próximos meses.

1º Sport-PE - 96,1%
(49 pontos, 17 jogos, 16 vitórias, 1 empate, 0 derrota, 42 gols feitos, 10 gols sofridos)
2º Internacional-RS - 85,4%
(41 pontos, 16 jogos, 13 vitórias, 2 empates, 1 derrota, 39 gols feitos, 7 gols sofridos)
3º Goiás-GO - 83,3%
(35 pontos, 14 jogos, 11 vitórias, 2 empates, 1 derrota, 32 gols feitos, 6 gols sofridos)
4º Botafogo-RJ - 79,5%
(31 pontos, 13 jogos, 10 vitórias, 1 empate, 2 derrotas, 30 gols feitos, 12 gols sofridos)
5º Vitória-BA - 79,2%
(38 pontos, 16 jogos, 12 vitórias, 2 empates, 2 derrotas, 42 gols feitos, 8 gols sofridos)
6º Cruzeiro-MG - 77,8%
(28 pontos, 12 jogos, 8 vitórias, 4 empates, 0 derrota, 28 gols feitos, 8 gols sofridos)
7º Atlético-PR - 76,9%
(30 pontos, 13 jogos, 9 vitórias, 3 empates, 1 derrota, 27 gols feitos, 9 gols sofridos)
8º Atlético-MG - 76,7%
(23 pontos, 10 jogos, 7 vitórias, 2 empates, 1 derrota, 25 gols feitos, 6 gols sofridos)
9º Palmeiras-SP - 76,5%
(39 pontos, 17 jogos, 12 vitórias, 3 empates, 2 derrotas, 40 gols feitos, 19 gols sofridos)
10º Flamengo-RJ - 75,0%
(27 pontos, 12 jogos, 8 vitórias, 3 empates, 1 derrota, 27 gols feitos, 13 gols sofridos)
11º Corinthians-SP - 73,3%
(33 pontos, 15 jogos, 9 vitórias, 6 empates, 0 derrota, 27 gols feitos, 11 gols sofridos)
12º Náutico-PE - 72,9%
(35 pontos, 16 jogos, 10 vitórias, 5 empates, 1 derrota, 32 gols feitos, 17 gols sofridos)
13º São Paulo-SP - 68,8%
(33 pontos, 16 jogos, 10 vitórias, 3 empates, 3 derrotas, 29 gols feitos, 14 gols sofridos)
14º Santos-SP - 66,7%
(30 pontos, 15 jogos, 9 vitórias, 3 empates, 3 derrotas, 23 gols feitos, 15 gols sofridos)
15º Fluminense-RJ - 66,7%
(26 pontos, 13 jogos, 8 vitórias, 2 empates, 3 derrotas, 22 gols feitos, 10 gols sofridos)
16º Coritiba-PR - 64,3%
(27 pontos, 14 jogos, 8 vitórias, 3 empates, 3 derrotas, 17 gols feitos, 11 gols sofridos)
17º Grêmio-RS - 62,5%
(30 pontos, 16 jogos, 9 vitórias, 3 empates, 4 derrotas, 30 gols feitos, 14 gols sofridos)
18º Santo André-SP - 61,9%
(26 pontos, 14 jogos, 8 vitórias, 2 empates, 4 derrotas, 23 gols feitos, 11 gols sofridos)
19º Avaí-SC - 57,8%
(26 pontos, 15 jogos, 7 vitórias, 5 empates, 3 derrotas, 24 gols feitos, 18 gols sofridos)
20º Barueri-SP - 52,4%
(22 pontos, 14 jogos, 6 vitórias, 4 empates, 4 derrotas, 21 gols feitos, 20 gols sofridos)

Um comentário:

CALIGULA disse...

El Inter es lo mejorcito por su juego actual!

Saludos de Buenos Aires.