domingo, 8 de fevereiro de 2009

O fabuloso time que não vence em casa

Todo o meu ideário de time ruim foi criado sobre a imagem do Avenida de 2000. Naquele ano, o São Luiz tinha uma equipe fraquíssima – e brigava para não cair justamente contra o time de Santa Cruz. Num belo dia houve um jogo direto entre os dois em Ijuí, e o São Luiz, do alto da sua condição de terrível, aplicou 5 a 1. Imagine o que sobra para um time que leva cinco de uns péssimos. Criou-se um conceito na minha mente: o Avenida sempre seria saco-de-pancadas. E sabe como são conceitos de infância... Eles ficam sólidos, guardados em algum canto da memória, já formando parte do nosso inconsciente.

Por isso eu custo a acreditar no que aconteceu no 19 de Outubro neste domingo. O Avenida de 2009 não possui grande qualidade – tirando o ataque rápido, do qual fui avisado em Erechim, o resto da equipe é deprimente – e vinha confirmando toda aquela espécie de coisas que eu tinha na cabeça, fazendo a pior campanha do estadual, excetuado o Brasil de Pelotas, que estreou depois. Não havia vencido nenhum jogo este ano, o Avenida! Nem amistosos, nem oficiais.

Fez 1 a 3 sobre o São Luiz em Ijuí.

As causas do fracasso são-luizense foram várias. Começando pela presença de Juliano em campo (um dos dois piores zagueiros que passaram pelo time no ano – o outro, Bruno Lourenço, já foi dispensado), nas costas de quem foi criado o primeiro gol visitante, continuando por um certo salto alto da equipe de Ijuí, confiante após duas vitórias seguidas fora de casa, e concluindo, para usar o trocadilho, com a velha questão das más conclusões do ataque.

Nesse aspecto o São Luiz e Avenida foi bastante semelhante ao Gre-Nal do Colosso da Lagoa: perdeu o time que mais atacou. Em Erechim o Grêmio saiu atrás com um gol contra de William Magrão, empatou, acumulou grandes oportunidades (incluindo uma bola na trave e um gol mal anulado), e levou o 2 a 1 definitivo num contra-ataque. No segundo tempo do 19 de Outubro, o São Luiz contaria no mínimo oito chances claríssimas de gol perdidas – enquanto o Avenida só criou uma e nela marcou o último gol da tarde, fazendo 1 a 3 aos 90 minutos.

Esse foi o derradeiro capítulo da ingratidão da partida para com os são-luizenses. Antes daquilo, no primeiro tempo, o pálido ijuiense saiu perdendo com o gol na falha da marcação de Juliano, aos 7 minutos, buscou a igualdade num pênalti convertido por Carlos Lima, aos 18, e seguiu levemente melhor. Quem balançaria as redes, contudo, seria o inolvidável Magno Chimbinha, recolocando o Avenida na liderança aos 45+1 minutos (na foto do topo, a comemoração).

Artilheiro-problema do São Luiz em 2005, dispensado por indisciplina em meio à campanha vencedora da Segundona Gaúcha daquele ano, o atacante armaria confusão logo depois de fazer o 1 a 2: enroscou-se na lateral com Xaro, provocando a expulsão de ambos e gerando um tumulto que fez a etapa inicial ser encerrada só após NOVE minutos de acréscimo. Quando deixou o gramado, apupado, o lendário provocador Chimbinha fez sinais para que o público ijuiense vaiasse ainda mais alto, fechando sua saída triunfal erguendo os dedos em V e I para indicar o placar daquele momento.

De qualquer maneira, a pressão do São Luiz foi inútil. O fabuloso time que perdeu a condição de pior ataque do torneio (agora tem quatro gols, contra três do Juventude), mantém a brilhante marca de não conhecer a vitória dentro de casa, apesar de estar invicto como visitante. Dos oito pontos que têm os são-luizenses, sete foram conquistados fora de Ijuí. Se o time quer mandar a torcida ficar longe do estádio, perder um jogo para o Avenida era o artifício mais feroz a se utilizar.

3 comentários:

Diego disse...

Um jogador que tem o nome igual ao do pseudo-guitarrista da banda calypso não pode ser bom.

E o São Luiz cairá, a menos que o autor pé frio deste texto não vá mais aos jogos.

Maurício Brum disse...

hahahh
' Victor diz:
disserte sobre Ximbinha
Maurício Brum diz:
ele era o maior matador da Segundona Gaúcha de 2005
Maurício Brum diz:
o cracaço copeiro do São Luiz
Maurício Brum diz:
teve um jogo, certa vez, que o São Luiz saiu levando 0-1
Maurício Brum diz:
ele empatou
Maurício Brum diz:
o São Luiz levou 1-2
Maurício Brum diz:
ele empatou de novo
Maurício Brum diz:
o São Luiz levou 2-3 aos 46 do segundo tempo
Maurício Brum diz:
ele empatou aos 49.
' Victor diz:
ahhahaha
' Victor diz:
que Mito
Maurício Brum diz:
era fodástico o cara

Chimbinha deus. E, para seu governo: eu vi os jogos Esportivo 1-1 São Luiz e Inter-SM 0-1 São Luiz.

Bocha disse...

Ya esta el link, un saludo.

www.abran-cancha.blogspot.com