sexta-feira, 13 de março de 2009

São Luiz 1-2 Caxias, São Luiz 0-10 Zero Hora

IJUHY – Ontem à noite, EM SÃO LUIZ (segundo a Zero Hora, teoricamente mais confiável que a Wikipédia), o time da casa, que coincidentemente se chama São Luiz, perdeu por 1 a 2 para o Caxias. Começou terrivelmente mal, melhorou no fim do primeiro tempo, mas aí levou um gol logo no início do segundo e desandou. Chegou a estar levando dois de diferença e, novamente de acordo com a Zero Hora, só descontou com um gol de RAFAEL Capixaba.

Ter que aturar o humilhante desconhecimento do pálido ijuiense pelo maior periódico do Estado é a última das nossas preocupações após esta quinta-feira. Mas ficamos indignados e, como somos anarquistas e selvagens, organizamos uma excursão para ir lá depredar a sede do jornal. Como os romanos que ouviam os bárbaros chegarem para conquistar a capital do Império, os portoalegrenses ouvirão, aterrorizados, o ônibus de Ijuí chegar para botar fogo na cidade inteira. Nosso problema é fretar o transporte. Aceitamos doações em dinheiro vivo, cheques, balas sete belo ou cervejas. Cervejas irlandesas, de preferência.

















A Zero Hora entende

Se o São Luiz tivesse jogado bem, a metrópole gaúcha estaria salva da dizimação completa. Lamentavelmente, o time entrou em campo nervoso. Deu aos caxienses todo o espaço necessário para que criassem suas oportunidades, desde o primeiro lance da partida: aos trinta segundos de jogo, os grenás ganharam uma bola mal tocada pela zaga são-luizense e só foram parados a milímetros da área, ou dentro da área, por uma falta com todo o jeito de pênalti. O juiz não deu o penal e a falta não deu em nada, porém a superioridade dos visitantes seguiria até a meia hora de partida.

Despertando, o time de São Luiz Gonzaga, digo, de Ijuí, resolveu prestar uma homenagem ao representante do Rio Grande na Libertadores (e especialmente a Jonas, cujo vídeo dos três gols feitos perdidos virou um dos maiores sucessos da internet e já é o DÉCIMO MAIS VISTO DO YOUTUBE nos últimos dias), perdendo gols e gols à la Grêmio. Em duas jogadas sucessivas, a zaga caxiense salvou cabeçadas sobre a linha. Aos 41 minutos, foi o travessão que impediu a abertura do placar pelo quadro local. Animado pela melhora do time, o público relativamente pequeno que foi ao 19 de Outubro chorou e chorou ao ver que o início aparentemente semelhante de segundo tempo era ilusório.

Com quarenta segundos da etapa complementar, um ataque do pálido gerou cruzamento e um bom chute perigoso ao lado do gol dos serranos. Com oitenta segundos, veio o primeiro gol da noite. Marcado pelo... Caxias? Pelo Caxias. Num ataquezinho pouco considerado e num chutinho nada perigoso, a bola passou por Oliveira e fez 0 a 1. Rafael Crivelaro, esse sim um Rafael, iniciou a derrota do São Luiz, que continuou desordenado em campo, e Wagner dobrou a vantagem visitante aos 65 minutos, emendando para as redes uma bola cruzada em cobrança de falta.



Sentindo que vencer por 0 a 2 era um pouco demais, o Caxias, que entregou para a Ulbra no fim de semana um empate após abrir vantagem idêntica à de ontem, resolveu dar emoção à sua vida. “Por que não entregar de novo?”, gritou o treinador Argel aos comandados, que prontamente atenderam. Aos 71 minutos, num pênalti não visto pelo árbitro mas assinalado pelo bandeirinha, Ronaldo Capixaba (RONALDO, como o gordo midiático do Corinthians, nunca Rafael, dona ZH) encurtou distâncias. Aos 76, ele próprio construiu boa jogada individual, driblou quatrocentos e setenta e cinco adversários e mandou um chute raspando o travessão caxiense.

Todos os minutos finais foram são-luizenses. Mas não houve gols são-luizenses. Derrota por 1 a 2. E a atuação até certo ponto decente não muda os números. Trata-se da terceira partida perdida pelo São Luiz em sequência – e a sua quarta derrota nos últimos cinco jogos; a única vitória nesse quinteto foi contra o saco-de-pancadas Brasil de Pelotas, um jogo que também marcou o único triunfo dentro do 19 de Outubro. A desolação não termina aí: os próximos jogos do São Luiz serão contra Ypiranga de Erechim (fora), Santa Cruz (casa), Ulbra (casa) e Grêmio (fora), nada menos que os quatro times do grupo que passaram de fase no primeiro turno. Confirmadas as previsões mais pessimistas, que não veem vitórias nessas partidas do porvir, a última rodada, contra o desesperado Sapucaiense em casa, poderá ser decisiva na briga contra o rebaixamento.

3 comentários:

Juliana De Brito disse...

Vocês ao menos têm vergonha na cara de mandar correspondentes para cobrir as partidas do interior. Eis a minha contribuição com a causa ijuiense: troquei a ZH pelos blogs.

Sancho, RS disse...

O estagiário está de "parabéns" pela ignorância, mas fosse "no São Luiz" e não haveria problema...

George disse...

Comento tardiamente, mas me solidarizo.
Que Deus vos livre, mas experimentem cair para a Segundona...nem resultados da rodada estavam dando, até a última segunda-feira. Tem até o campeonato da Esbórnia, mas Segundona, nada.
Além de insistirem em chamar o Bagé de "Grêmio Bagé", mesmo após e-mails corrigindo.