sábado, 21 de março de 2009

"Está entrando García, volante, no Nacional."

"Morro" García, centroavante

A frase que dá título ao post, dita pelo comentarista Lédio Carmona – um dos melhores do canal SporTV – no 3-0 do Nacional uruguaio sobre o River Plate demonstrou a precariedade das transmissões da televisão brasileira nas partidas da Copa Libertadores. Para principiar, Santiago García é centroavante do tipo trombador e não se trata de um desconhecido: foi um dos destaques da seleção uruguaia sub-20 que foi vice-campeã do Sul-Americano da categoria, já em 2009. Falta informação inclusive da TV paga para cobrir a maior competição da América do Sul.

É costumeiro que, quando um quadro uruguaio devasta o gramado por alguma competição televisionada, nenhum dos jornalistas responsáveis pela cobertura saiba de algum detalhe interessante sobre o clube. Não se trata de um absurdo, reconheço, já que o decadente futebol oriental não garante mais audiência nem recebe espaço nos principais programas esportivos. Conhecer minimamente um dos participantes da Libertadores, porém, é recomendável para uma cobertura decente: quando um destes mesmos clubes arranca uma vitória no Rio de Janeiro, por exemplo, sobram palpitadores sobre a eficiência do tradicional Defensor de Montevidéu.

O narrador costumeiramente troca os nomes, erra a pronúncia e, principalmente, ignora por completo feitos de grande relevância dos dois clubes representados pelos pobres vinte e dois atletas que se sacrificam em campo. Citar que o Club Nacional de Fútbol guarda três Libertadores e três Mundiais em seu memorial (o que há de mais básico para ser dito) não se inclui na transmissão. Tristemente, o mesmo não se repete quando o que está em jogo é a Liga dos Campeões da Europa, como vemos a cada semana na ESPN. O futebol europeu recebe mais destaque, atenção e preparação do que o rico Sul-Americano.

Seria injusto não comentar que o mesmo canal criticado no primeiro parágrafo transmite a maioria das partidas da Libertadores, e que recentemente incluiu o campeonato argentino na sua pauta televisiva. O pedido é para que o que temos de mais interessante em termos de futebol na América receba a devida importância dos que a cobrem. Chegará um dia em que o Nacional entrará em campo sendo chamado de BOLSO, que o mesmo Lédio Carmona qualificará o ataque formado por "CHAPITA" Blanco, "MORRO" García e "DIABLO" Mondaini como "inoperante" e que a lotação máxima do estádio Centenário (cheio até os TALUDES) seja valorizada pela emissora. Até lá – e não se trata de maldade – a melhor medida a curto prazo é privilegiar o áudio ambiente de uma cantante cancha latino-americana.

2 comentários:

Germano Jaeschke Schneider disse...

É bem verdade, as narrações dos jogos da Libertadores são horríveis. Inclusive, tinha escrito sobre isto na semana passada: http://www.futebolforca.com/?p=1341

Iuri disse...

Bueno, o protesto já não é mais tão silencioso assim. haha

No ano passado o SporTV transmitiu um RACING x INDEPENDIENTE como se fosse um Barueri x Santo André. Conseguiram estragar o meu sábado, em tal ocasião.